14/11/08

HOMEM


Velho
à porta de sua casa
o pescador.
À sua frente grande
o mar.

A vida. A mulher. Os sonhos.
Subitamente a consciência toda
daquele momento carregado de frio
e de distância.
Mas o vinho ganha no copo
assim como o complicado sabor do cigarro
nos seus dedos.

A tranquilidade desce ao velho.
A imensa companhia da mulher.
Oceanos à viola outonos de lã.

(Daniel Maia-Pinto Rodrigues, in "Dióspiro", Quasi Edições)

2 comentários:

Maria Velho disse...

não é por razões "particulares"...mas gosto muito do Daniel e do que ele escreve! Eu teço o meu outono, quasinverno em oceanos de lã, intranquilamente.

Patrícia Campos disse...

Na Quarta-feira, dia 19, o Daniel Maia-Pinto Rodrigues vai levar a poesia ao programa da tarde da Porto Canal - ZONA INTERDITA. A Caixa Geral de Despojos entre as 16h00 e as 18h00.