29/05/07

Performance de Ana Borralho & João Galante a 21 de Julho



UNÍSSONO


Uníssono partilha dos mesmos processos de trabalho recorrentes nas performances de Borralho & Galante.
Interessa continuar a explorar a relação que o corpo social contemporâneo promove com o corpo biológico, colocando, agora, no centro das atenções a barreira/relação entre os performers.
Importa identificar e definir os limites do controlo sobre o próprio corpo; e da arte com os códigos que governam a sociedade.

Retrato de Ana Borralho e João Galante

Reconhecer em João Galante e Ana Borralho não tanto uma dupla de artistas mas um casal é central para a compreensão do seu trabalho. A dupla pressupõe, ou pelo menos admite, a conjugação de duas forças, enquanto neste casal essa conjugação torna-se uma só. Não é impunemente que em todos os seus trabalhos em conjunto eles nunca estejam frente a frente. O frente-a-frente, em Galante-Borralho, é o de um casal com o seu público. Mesmo em “No Body Never Mind 001”, em que o público os rodeava num círculo, Galante estava virado para uma metade do público, e Borralho para a outra. Tal como nos retratos de família, eles não se olham – eles olham-nos. Essa é uma das razões para que o feminino e o masculino, no seu trabalho, seja simultaneamente revelado e invertido. Eles não operam na dicotomia, mas no símbolo unificado. Também não se trata de um jogo de máscaras de quem-é-quem. O trabalho de Galante-Borralho não é dois-em-um, mas uma unidade separada em dois corpos. A identificação de um implica a iconografia contida no outro. Sem cara, não há coroa.

In programa do Lab 11/REAL
por Rui Catalão

1 comentário:

Nane Borrallo disse...

Deseo conectarme con Ana Borralho, pues tengo su mismo apellido, siendo la única familia residente en Uruguay con el mismo. Soy docente, escritora, actriz y trabajo en Turismo.
Mi nombre es María del Carmen Borrallo; espero tu respuesta, pues deseo conocer mis orígenes.