21/03/07

21 DE MARÇO

Fotografia de PAT, captada num dos camarins do Teatro do Campo Alegre
Um inédito de José Luís Peixoto, convidado das "Quintas" na sessão de 19 de Abril, para comemorar o Dia Mundial da Poesia.

21 DE MARÇO

As asas das borboletas que tenho na garganta
são feitas de malmequeres.
Lanço-me em baloiços dentro das palavras
e estendo toalhas de piqueniques sobre a minha
voz. Aquilo que digo tem um significado branco,
como as sapatilhas que o anjo ata com um laço,
lá ao fundo, por baixo das árvores floridas
da primavera, dentro do seu perfume.

2 comentários:

Anónimo disse...

No dia da poesia não há poemas nas almas das pessoas, não há poesia nos rostos cansados, palavras somente as necessárias para existir em sociedade, já ninguém quer ouvir os poetas, já ninguém se escuta no silêncio...

Santiago Santos disse...

Muito, muito bom

Santiago Santos

www.cadillac-obsceno.blogspot.com